Av. Gisele Constantino, 1850 | Edifício Iguatemi Business | Sala 410

Parque Bela Vista, Votorantim - SP, 18110-650

contato@dralaurenklas.com

Tel: (15) 3019- 7002  | WhatsApp: (15) 98111-0000

  • Facebook Dra Lauren Klas
  • Instagram Dra Lauren Klas

© 2019 por Noi Comunicação

Procedimentos Cirúrgicos Reparadores

Muito além do estética. Clique no procedimento reparador desejado para saber mais:

 

CORREÇÃO DE CICATRIZES E QUELÓIDES 

A cirurgia de revisão de cicatriz se destina a minimizar a cicatriz e proporcionar um melhor resultado estético. No entanto, é impossível apagá-la completamente.

Uma cicatriz pode ser considerada inestética por alteração de sua cor (hipocrômicas ou hipercrômicas), por estar espessada (hipertrófica) ou espessada além de suas margens (quelóide), por estar retraída (atrófica), contraída (retrátil) ou alargada.

Diversos fatores são prejudiciais ao processo de cicatrização como infecção local, trauma, idade, desnutrição, hipovitaminose, deficiência de ferro/cobre/zinco, irradiação, diabetes, hipotireoidismo, obesidade, cardiopatia, pneumopatia, tabagismo, entre outros.

Dependendo da extensão da cicatriz o procedimento poderá ser realizado em ambiente ambulatorial ou hospitalar, sob anestesia local ou geral.

 

Nos casos de cicatriz do tipo quelóide, podemos indicar corticosteróide injetável, que costuma reduzir volume, vermelhidão, coceira e ardor do quelóide. A remoção cirúrgica é usada para formações mais amplas, nas quais o corticóide injetável terá pouco efeito. Tratamentos pós-cirúrgicos como placa de silicone, terapia de compressão e betaterapia são utilizados para minimizar a recorrência queloideana.

RECONSTRUÇÃO DE MAMAS

As mamas constituem o principal símbolo de feminilidade na  mulher. Além da função de amamentação, ela é fundamental na sexualidade, na identidade psicológica, na auto-imagem e auto-estima. 

Em 2013, o Congresso Nacional aprovou a lei 12.802/2013, que obriga o Sistema Único de Saúde a fazer a reconstrução mamária imediatamente após a retirada do câncer, quando houver condições clínicas. A reconstrução mamária imediata traz benefícios estéticos e psicológicos à paciente quando comparada à reconstrução tardia da mama.  

O câncer de mama além de ser o mais freqüente entre as mulheres, apresenta incidência crescente no Brasil, segundo dados do INCA. 

Isto leva ao aumento do número de pacientes submetidas a quadrantectomias (retirada de um quadrante da mama), adenectomias (retirada de toda a glândula mamária com preservação da pele e da aréola) e mastectomias (retirada de toda a glândula mamária com pele próxima ao tumor e/ou aréola). 

Existem inúmeras técnicas de reconstrução de mama e a paciente deve ser informada sobre os riscos e benefícios de cada método.

 
 

DESCUBRA QUAL O PROCEDIMENTO IDEAL PARA VOCÊ!

TRATAMENTO CIRÚRGICO DO CÂNCER DE PELE

O câncer de pele é o mais frequente na população geral e corresponde a 25% de todos os tumores malignos registrados no Brasil, segundo dados do INCA. Apresenta incidência aumentada acima dos 40 anos, em pele clara, sensível à ação dos raios solares, e em pacientes com doenças cutâneas prévias. 

 

Entre os tumores de pele, temos o tipo melanoma e o tipo não-melanoma, sendo o não melanoma de maior incidência e mais baixa mortalidade. Os não melanoma mais frequentes são o carcinoma basocelular, responsável por 70% dos diagnósticos, e o carcinoma epidermoide, representando 25% dos casos. O carcinoma basocelular, apesar de mais incidente, é também o menos agressivo.

 

O tratamento cirúrgico do câncer de pele visa remover o tumor com margem de segurança, a qual varia segundo o tipo histológico do tumor. A reconstrução do defeito pode ser realizada com rotação de retalhos (porções de pele, gordura e/ou músculo) ou com enxertos de pele total, objetivando sempre um resultado cosmético e funcional.

 

A cirurgia é na maioria das vezes o melhor tratamento para o câncer de pele, tendo os melhores índices de cura com baixo risco de recidiva. Felizmente os tumores cutâneos apresentam altos percentuais de cura, se forem detectados precocemente. 

 

O tempo cirúrgico e o período de internação dependerão da extensão da lesão e da técnica de reconstrução utilizada, sendo a anestesia local com sedação geralmente suficiente.

São imprescindíveis seguimento e monitorização regular com um dermatologista, através de dermatoscopia, para detecção precoce dessas lesões.